segunda-feira, 2 de abril de 2012

Por mais que não seja verdade



Vivo em ambientes incrédulos, onde as pessoas não acreditam nem mesmo em si próprias. Paira uma desconfiança em tudo que é dito e feito. Todos se olham, uns desconfiando dos outros. E esse ambiente me propicia muitas questões, questões sobre o mundo atual, sobre a vida, sobre o passado e sobre o futuro. Quero tentar lançar um dos meus pensamentos hoje para vocês, um que foi fundamental em tudo que sou hoje.

Setembro de 2008: Eu me encontrava com 18 anos, estudante do cursinho Etapa, com planos de cursar Gastronomia e ser um grande Chef, porém, ao mesmo tempo, eu era também um viciado que não tinha concentração sequer de sentar e ficar 30 minutos estudando, gastava tempo no bar jogando bilhar e me drogando.

Outubro de 2008: Eu estava morando no litoral, trabalhando no Deposito São Lourenço, morando com minha prima e sem planos de prestar faculdade, porém, estava há um mês sem usar drogas e tinha aceitado a Jesus Cristo como Senhor e Salvador.

Dezembro de 2008: Continuava morando no litoral, trabalhando no Deposito São Lourenço, morando com minha prima e sem planos de prestar faculdade, porém, estava há três meses sem usar drogas e estava sendo batizado nas águas, nascendo de novo.

Março de 2009: Ingressei na Escola de Treinamento e Discipulado (ETED) pela JOCUM (Jovens Com Uma Missão) da Baixada Santista e estava há seis meses sem usar drogas.

Maio de 2009: Estava em um trabalho junto com a equipe de JOCUM no centro de Mogi das Cruzes e me vi sentado junto de muitos mendigos, que contavam suas vidas e se sentiam aliviados. Eu podia orar por eles e eles me agradeciam.

Junho de 2009: Eu estava no período prático, morando na Igreja Triunfante de Santos, e estava junto da equipe organizando um evento que alcançaria 97 crianças que teriam um momento de alegria e de ter o primeiro contato com Jesus Cristo.

Novembro de 2009: Eu estava morando em São Paulo, novamente com meus pais e fazendo parte da Comunidade Cristã Rocha Eterna (CCRE), de onde eu não saí até os dias atuais, e me vi novamente conversando com mendigos e podendo ajudá-los a se sentir um pouco mais aliviados.

Fevereiro de 2010: Eu ingressei no primeiro ano da Faculdade de Psicologia, e começava um tempo diferente, onde eu teria que saber filtrar muita coisa.

Novembro de 2010: Feriado de finados, eu estava no cemitério da Vila Formosa com os jovens da CCRE, e ali nós choramos com os que estavam chorando, fomos um ombro amigo aquelas pessoas que nunca vimos na vida.

Final de 2010 (não lembro as datas exatas desses acontecimentos): Vi-me responsável por cuidar de alguns jovens e adolescentes, estive em momentos difíceis onde tropecei em minhas próprias pernas, mas vi jovens se reconciliando com Cristo, outros aprendendo coisas novas, alguns voltando tendo amigos dentro da igreja, outros estressados com meu jeito calmo de ser.

Março de 2011: Lembro-me de estar na Praça Silvio Romero, onde coloquei pra dentro do meu carro três crianças que pediam dinheiro e as levei até suas casas em uma favela bem distante dali, no caminho eu apresentei a elas a Verdade que é Jesus.

Maio de 2011: Chego a um culto na CCRE e vejo um garoto sentado, vou até ele e dou um abraço. Depois aquele garoto, hoje meu grande amigo, diz que nunca se sentiu tão aceito. No mesmo dia ele decidiu se entregar pra Jesus.

Novembro de 2011: Novamente no feriado de finados, choramos com pessoas, fomos o ombro amigo. Eu pude conhecer três jovens que estavam limpando os túmulos por alguns trocados, e então, pude apresentar o evangelho para eles.

Dezembro de 2011: Eu estava na praia, era revellion, me vi ajoelhado na areia com meus primos, Diego Avedissian e Jefferson Januário, orando pelo ano que estava iniciando e lembro-me de pessoas olharem para nós e ficarem observando, o porquê nós éramos diferentes.

Janeiro de 2012: Eu saia de um culto na CCRE e encontro dois jovens sentados na chuva, em frente ao meu carro, eu peguei e dei minha blusa para eles e saí, porém, isso não era suficiente, voltei e os levei a um Hotel e paguei uma diária para eles.

Fevereiro de 2012: Eu estava no Acampamento de Carnaval dos Jovens da CCRE, e conheci muitos jovens lindos. Ali eu pude chorar com eles e chorar por eles. Tivemos um tempo de muito perdão sendo liberado. Nesse mesmo acampamento eu conheci duas senhoras que foram guiadas até o sitio pelo som que a filha de apenas 2 anos ficou curiosa para saber aonde era, eu as apresentei Jesus. E também encontramos um jovem rapaz que de tanta droga que usou estava perdido e há 17 dias sem comer, pude ali dar um banho daquele jovem e chamar uma ambulância para tratar dele.

Qual o sentido de eu escrever toda essa trajetória? É porque eu, às vezes, me deixo ser influenciado pelo ambiente incrédulo que vivo e resolvi lembrar tudo isso para afirmar que mesmo que tudo seja mentira, que nada do que eu acredito seja real, que quando eu morrer o céu não exista, eu vou poder afirmar que TUDO VALEU A PENA.

Valeu a pena deixar de ir às baladas, valeu a pena deixar as drogas, valeu a pena parar de querer tudo pra mim, valeu a pena olhar para os necessitados, valeu a pena chorar com os que choram, valeu a pena sentar com os mendigos, valeu a pena esperar o casamento para ter relações sexuais somente com minha esposa, valeu a pena sofrer preconceito, valeu a pena ser taxado de louco e careta.

E por tudo valer a pena é que me faz crer que Jesus é VIVO, pois o ensinamento mais louco dele é verdadeiro “melhor é dar do que receber”.

Quando você estiver em momentos incrédulos, olhe para trás e lembre-se de tudo que você passou e saiba que ainda que seja mentira tudo, os ensinamentos da bíblia nos fazem viver muito melhor e nos da uma vida plena. E por eu chegar a essa conclusão é o que me motiva mais e mais a permanecer e continuar com esse Jesus que me amou, curou e que me levará para morar com ele na Glória. Por que ele é real, vivo e eficaz.

"E ao redor de cada esquina, em cima de cada montanha, Eu não procuro por coras, ou pelas águas das fontes. Desesperado eu Te busco, frenético acredito, que a visão da Tua face é TUDO o que eu preciso, e eu te direi: Que vai valer a pena."

Eu amo vocês,
Lennon Santos.

4 comentários:

  1. Por que dEle e por Ele, para Ele são todas as coisas. E com certeza vale a pena. Cada esforço não é em vão. Tamo junto!!!!

    ResponderExcluir
  2. não há oq acrescentar... é simples assim... enquanto o mundo pensa que seguir os conselhos de Jesus é martírio, e que Jesus quer nos privar das coisas "boas" do mundo para nos dar em troca a salvação; Jesus só nos deu conselhos para aprendermos a viver e viver com abundância.

    ResponderExcluir
  3. Deus de transformação que levanta-nos para sermos melhores do que ontem e nos da sentido nessa vida. Esse é o nosso Deus. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Vai valer a pena! Todo joelho se dobrará e toda língua confessará...

    ResponderExcluir