terça-feira, 22 de novembro de 2011

Ahh... O Perdão!



Ontem foi um dia em que falei muito de perdão, quem me acompanha no Facebook pode perceber. Para aqueles que ainda não me acompanham, fica a dica, estou falando disso novamente.

O Evangelho de Jesus se resume no perdão, é a única religião que tem por base o perdão dos pecados em sua ideologia, e não uma troca do tipo: se você fizer isso você terá perdão. Não! Em Jesus é tudo de grátis. Nós Cristãos convertidos, seguidores assíduos de Jesus somos o que somos por causa do perdão, certo? Isso não é novidade para ninguém, porém tem algo que me espanta...

Quando uma vaca tem um filhote o que nasce? Um cabritinho? Não! Nasce um bezerro. Se uma baleia tem um filhote nasce um tubarãozinho? Não! Nasce uma baleiazinha. Essa é a idéia central.

Uma pessoa quando se converte, é esperado um novo nascimento. Essa pessoa é gerada pelo Espírito Santo, mas existem muitas pessoas que não seguem o rumo das coisas, por exemplo, eu nasci novamente através de Jesus Cristo, logo tenho que me transformar em um Cristozinho, mas ser um Cristozinho é muito difícil, exige muita coisa então eu prefiro ficar do jeito que estou e somente tomar o rótulo de ‘Pequeno Cristo’ , mas minha vida continua a mesma coisa.

Quem nasce de novo deve assumir todas as características do seu gerador, no caso de nós Cristão devemos ir a uma carta escrita pelo Apostolo Paulo à igreja de Gálatas no capitulo 5 e olhar todas as características de quem nos gerou e lutar para que essas características venham ser reais em nossa vida também, nós tornando filhos.

Filhos nós somos por adoção, por amor e misericórdia, mas temos que deixar nosso Pai feliz mostrando a Ele o quanto Ele tem influenciado em nossa vida a ponto de nos tornar pessoas parecidíssimas com Ele. O Pai é um pai de Amor e Misericórdia e nós devemos ter o mesmo interesse e a mesma atitude de serem filhos de Amor e Misericórdia.

Eu sei que todos vocês já sabem disso, isso não é novidade alguma, pois é pregado em várias igrejas diariamente, mas se insistimos em falar disso é porque não estamos vendo essas coisas em prática nas igrejas. Fica a dica, que a gente consiga ser pessoas que nasceram e assumiram o papel do seu gerador.

No amor e graça de Jesus,
Lennon Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário