quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Meu Sol, minha justiça



Olá pessoal, tudo bem? Eu iiiaaa começar esse post contando sobre as coisas que tenho vivido, no trânsito, no trabalho, por onde eu ando, mas pensei bem e achei melhor começar com algo muito melhor; A palavra!

Mas para vós, os que temeis o meu nome,  nascerá o sol da justiça, e cura trará nas suas asas; e saireis e saltareis como bezerros da estrebaria. E pisareis os ímpios, porque se farão cinza debaixo das plantas de vossos pés, naquele dia que estou preparando, diz o SENHOR dos Exércitos. Malaquias 4:2-3

Essa é uma profecia, sobre o nascimento do filho de Deus, o nascimento do sol da justiça, aquele que traria a salvação. Nesse texto o Messias é comparado ao sol nascente que com seus raios pode trazer cura a um coração destruído, libertação ao cativo, e salvação.

O profeta fala sobre aquele que vem para trazer justiça. Isso muito me conforta porque esse Messias é Jesus que já nasceu, completou seu ministério, morreu na cruz como um cordeiro em sacrifício e ressuscitou e esta a destra de Deus. Sobre Ele estão todas as nossas lutas, sobre Ele está todo o nosso julgo, e nossas batalhas.

Temos nos sentido bastante acuados por esses tempos, acuados que quero dizer é nos sentimos cercados por uma tão grande nuvem de testemunhas e embaraços como diz em Hebreus 12, que nos sentimos muitas vezes cansados e sobrecarregados(Mateus 11: 28). 


A maldade do homem, a crueldade, o egoísmo e a incredulidade alheia nos trazem dor.  Sim , mas tenho uma ótima noticia, foi lá na cruz que Jesus tomou sobre ele todas essas coisas, e o que temos que fazer é lançar sobre ele toda a nossa ansiedade (1 Pedro 5:7), colocar nas mãos dele todas as nossas causas e clamar. Orar sem parar, jejuar, buscar a palavra. Esse é o nosso trabalho, confiar nEle.

Sabendo que o amor de Cristo é assim, antes de ser entregue nas mãos dos inimigos o nosso senhor orou e disse ao Pai: “Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal.” João 17: 14-15

Queridos, eu tenho vivido muitas tribulações, mas até hoje nunca vi o Senhor me desamparar ou me deixar na solidão, jamais Ele me desamparou, creio em sua fidelidade e no seu amor por nós. Creio que Ele me vê coberta pelo sangue dele e enxerga o meu coração e como tenho o adorado em minha vida, creio no Deus de justiça que aplana os caminhos daqueles que nEle crêem e assim por Eles são justificados. Ele vive! Que o Sol da justiça venha sobre mim!

Fiquem na paz.
Silmara Santana


Fiquem com essa linda canção.  Clique aqui.



Nenhum comentário:

Postar um comentário